Inicio
/
Sem categoria

Informações Úteis Urgência

O QUE POSSO FAZER ANTES DE VIR AO SERVIÇO DE URGÊNCIA?

R: Em primeiro lugar deverão perceber que todos nós (utentes e prestadores de cuidados de saúde) fazemos parte da mesma equipa… e que cada um tem direitos e deveres. Um dos principais deveres dos doentes é a valorização da imagem do Médico de Família, em quem devem confiar e por isso sempre que possível deverá ser o primeiro elo de contacto com o Serviço Nacional de Saúde. Um outro dever é, perante a doença, efectuar uma auto-avaliação séria para então decidir qual será o local onde se deverão deslocar para obter o tratamento adequado… Durante este processo os utentes devem responder à questão: será que a minha doença implica ir a um Serviço de Urgência? Ou posso ir ao meu Médico de Família?

Relembramos que é necessário ter a consciência social de que embora os Serviços de urgência estejam sempre de portas abertas, os seus recursos são limitados, e por isso deverão estar reservados para os doentes agudos urgentes ou emergentes.

Sublinhamos a importância da utilização da linha telefónica Saúde 24, cujo contacto telefónico é 808 24 24 24, e que é um instrumento de primeira linha e muito importante criado pelo Ministério da Saúde que tem como principal objectivo esclarecer e ajudar os utentes. Sempre que possível os utentes deverão inicialmente ligar para este número para uma primeira orientação.

.

QUAIS SÃO ENTÃO AS SITUAÇÕES QUE DEVEM SER OBSERVADAS NUM SERVIÇO DE URGÊNCIA?

R: Os Serviços de urgência estão dimensionados e organizados para assistirem utentes emergentes e urgentes. As situações emergentes necessitam de ser avaliadas e tratadas com a maior brevidade possível em virtude de serem fortemente ameaçadoras da vida, tais como o enfarte agudo do miocárdio ou um grande politraumatizado. Ainda neste contexto, no Serviço de Urgência da ULSAM existem quatro vias verdes, nomeadamente a via verde AVC, via verde coronária, a via verde Trauma e a via verde sépsis para as infecções graves que foram implementadas para acelerar o fluxo dos doentes com estas patologias no Serviço de Urgência para que se inicie o estudo diagnóstico e o tratamento com a maior brevidade possível.

As situações urgentes são aquelas que embora não sejam ameaçadoras de vida, pelo menos numa fase inicial, necessitam de uma avaliação rápida, ou seja, em minutos ou horas e por isso não podem esperar pelo dia seguinte ou pelo Médico de Família.

São algumas das situações consideradas emergentes e urgentes:

  • Dor torácica ou falta de ar severas;
  • Convulsões ou perda de consciência;
  • Febre no recém-nascido (menos de 3 meses de idade);
  • Hemorragia não controlável;
  • Feridas profundas acidentais, com armas brancas ou de fogo:
  • Queimaduras moderadas e severas;
  • Envenenamento;
  • Traumatizados;
  • Fracturas;
  • Problemas relacionados com a gravidez;
  • Dor abdominal severa;
  • Sinais sugestivos de AVC (perda de visão, fraqueza generalizada, perde de força num lado do corpo, alteração da fala, confusão);
  • Ideação suicída e homicida.

.

E QUAIS SÃO AS SITUAÇÕES QUE PODEM SER OBSERVADAS NOS CUIDADOS DE  SAÚDE PRIMÁRIOS?

R: Em primeiro lugar, qualquer situação de doença aguda ou crónica agudizada merece ser tratada e resolvida desde que possível com a maior brevidade e com o melhor resultado, pois é extremamente penosa para os utentes. No entanto, há situações que podem ser tratadas nos Cuidados de Saúde Primários (ou seja, nos Centros de Saúde, nas Unidades de Saúde Familiar) sem prejuízo para o utente e por isso não necessitam de uma admissão hospitalar. São exemplos as constipações… os síndromes gripais não complicados que necessitam apenas de tratamento sintomático (que geralmente se manifestam com dores musculares, febre auto-limitada e tosse…) as dores de garganta… as gastroenterites agudas… os episódios de obstipação… as queixas genitourinárias sugestivas de infeção urinária… as lombalgias (dores nas costas)… os estados de ansiedade… as irritações de pele… a hipertensão e a diabetes que estão mal controlados…